domingo, 3 de março de 2013

Magic Paula...


Eu reconheceria-na a quilômetros de distância. Mas, ela estava ali, a menos de 20 metros de mim. Olhei, olhei de novo, olhei mais uma vez, só pra ter certeza. E era ela! Por alguns segundos, hesitei em ir ao seu encontro; mas, ao lembrar-me de que, bem ali pertinho, estava minha grande inspiração da adolescência, não deu para fazer de conta de que se tratava de um encontro normal...

- Com licença, disse eu. Você poderia tirar uma foto comigo?

- Claro, respondeu ela, ao mesmo tempo em que levantava da cadeira de balanço.

E aqueles segundos paralisaram-me... Suor frio... Coração acelerado... Eu não sabia se sorria, não sabia se chorava, não sabia se respirava ou se falava: era a Magic Paula estava ali. 

Ainda balbuciei algumas frases. Recordo-me de ter dito que guardo uma pasta colecionadora de todos os jornais e revistas em que ela apareceu. Mas, o que meu coração não conseguiu materializar em forma de palavras seria algo mais ou menos como "foi para tentar ser um pouquinho de você que comecei a treinar basquete. Foi de ver você fazendo mágica nas quadras que nasceu meu grande sonho de ser uma atleta. Foi você, Magic Paula...

Eu teria muitas histórias a confidenciar-lhe... Muitas... Histórias que minha mãe, minha fiel companheira de sonhos, bem sabe... Talvez por isso a efusão, por telefone, do "Parabéns, minha filha! Estou tão feliz por você!"

Possivelmente, não dormirei com facilidade hoje. Um estado de emoção plena me domina...

Pode anotar, Deus, esse foi um dos momentos mais felizes de minha vida!


Nenhum comentário:

Postar um comentário