terça-feira, 30 de abril de 2013

Daquilo que não é dito (ou "A vida além da que vivemos") ...


Tenho pra mim que há em cada um de nós um pedacinho de vida que se alimenta das nossas ausências: das palavras que não são ditas, dos pensamentos que não são sinalizados, das ações que não são efetivadas. Como se houvesse uma vida paralela à nossa "real" existindo, exatamente, daquilo que não é dito, nem pensado, nem feito... 

Quantas e quantas palavras nunca foram pronunciadas; quantos abraços apenas idealizados, quantos planos sequer iniciados...

Nosso instinto de preservação tende a afastar o que, pelo mínimo que seja, possa trazer-nos dor, sofrimento; e, nesse sentido, não pensar/não dizer/não agir ao encontro do desconhecido traz um bocadinho de segurança. A questão é que isso, não necessariamente, significa que se deixou de querer pronunciar, ou de se estender os braços, ou de se arquitetar projetos. E é, justamente, esse descompasso entre o não vivido e o verídico que nos pode ser bem complicado.. 

Quando foi que a vida que você não viveu mais sufocou? Quais músicas não dançadas mais fizeram falta? Que sorrisos guardados foram mais difíceis de conter?

Nenhum comentário:

Postar um comentário