sexta-feira, 26 de julho de 2013

Ainda sobre meus causos de infância...


Minha mãe fala que, quando eu era bem pequenininha, disse as seguintes palavras: “Tenho tanta raiva do Papai do Céu”!
Ela, com muito espanto pela expressão tão forte vinda de um ser pequenininho, perguntou o porquê, pelo que respondi: “Ele levou todos os meus avós antes de eu nascer”.
De fato, eis uma ausência que me acompanha por toda a vida: não ter conhecido meus avós. Afago de vó é algo sagrado e essa lacuna por nunca ter sentido o cheirinho dos pais dos meus pais e de não saber o gostinho de pronunciar “vovô/vovó” me fez crescer um pouco capenga...
É difícil falar sobre o que não se entende. Por isso, nesse dia da avó, minha homenagem vai para minha mãezinha, a avó mais linda do Universo, alguém cuja participação na vida da Mariazinha foi sempre fundamental, por toda a responsabilidade, dedicação, carinho, amor e zelo pela sua netinha...
De tia para avó: parabéns, minha mãe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário