quinta-feira, 25 de julho de 2013

Quando Sua Santidade esteve em Fortaleza...


- Mãe, conta de novo como foi a queda que eu levei no dia em que a Sra. foi ver o Papa?
Mamãe dá uma risada e, mais uma vez, repete aquela velha história...
Eu tinha menos de três anos (mais precisamente, dois anos, sete meses e vinte e um dias), e fui com minha mãe e meu pai à casa de uma amiga da família, que morava na Avenida José Bastos (uma das mais movimentadas de Fortaleza), local por onde Sua Santidade, o Papa João Paulo II, passaria a caminho do estádio Castelão.
A residência localizava-se a uma altura de, mais ou menos, cinco metros, e a porta de entrada da casa era quase contígua a um penhasco. Resultado: a bebê aqui, que não era muito quietinha, resolveu conferir o que tinha lá embaixo da casa e pááá... Minha mãe conta que meu pai, que foi quem foi me resgatar, só sabia dizer ”ela caiu lá embaixo”.
- Mas, onde a Sra. Estava? Ninguém me segurou? E a Sra. viu o Papa? (hoje as perguntas foram mais pormenorizadas, talvez pela curiosidade aguçada com estada do Papa Francisco no Brasil.)
E os olhinhos brilharam prestando bem atenção nos detalhes de todo o ocorrido... Para resumir, ninguém da casa conseguiu ver o Papa, tamanha a aflição pelo acontecido. Acabei sendo eu a personalidade que mais recebeu atenção naquele dia...
Graças a Deus, nada de grave aconteceu comigo. Uma pequena cicatriz interna no lábio superior foi o que me restou daquele feito. E é ela que fito no espelho, vez por outra, buscando a materialização da minha coragem...


Nenhum comentário:

Postar um comentário